Extimbrasil  /  Blog  / 

Alerta: 5 Dicas valiosas para evitar focos de incêndio na sua empresa

Alerta: 5 Dicas valiosas para evitar focos de incêndio na sua empresa

Focos de incêndio podem ocorrer de onde menos se espera, ou melhor dizendo, de onde menos se nota. Pode haver vários lugares e condições na empresa que merecem um olhar frequente e atencioso, o que resulta, algumas vezes, em uma manutenção preventiva.

Essa mudança de atitude pode ser crucial para que no futuro, ninguém seja pego de surpresa e perca patrimônio, ou, seja responsável por ferimentos, ou, pela perda de vidas dos seus funcionários e clientes. Podendo ainda ser multado ou ter seu estabelecimento interditado pela fiscalização do corpo de bombeiros.

Confira abaixo 5 dicas valiosas de como proteger a sua empresa contra situações de risco envolvendo fogo.

1. Saiba exatamente quais são as condições da sua rede elétrica

Essa informação pode passar batida no seu dia a dia, mas o sistema elétrico pode ter danos devido a uma instalação feita há um longo tempo e a falta de manutenção preventiva desde então. A manutenção preventiva é uma ação programada que vai justamente identificar essas pequenas falhas que podem vir a acarretar sérios problemas no futuro.

Essas complicações, como fios desencapados, fusíveis e disjuntores danificados ou vazamentos de gás, por exemplo, podem gerar choques, curto-circuitos em equipamentos e até incêndios graves. Algo que você pode estar deixando para fazer “um dia”, pode sair caro demais quando você tiver que antes pagar e responder por todos os prejuízos.

2. Desligue todos os equipamentos elétricos ao final do expediente

Mesmo que as máquinas e equipamentos tenham sido desligados por meio de seus botões, o ideal, é desligá-los da tomada. Isso porque eles ainda consomem energia enquanto conectados.

Essa pode ser também uma dica de economia, mas um aparelho ligado a tomada, durante uma queda de energia no bairro, ou defeito no sistema elétrico do próprio, pode gerar um curto-circuito e não haverá ninguém ao alcance para evitar um possível incêndio e um enorme prejuízo.

É necessário ficar atendo também a máquinas que emitem muito calor durante o seu uso, sabendo bem os seus limites e quando devem ser desligadas para evitar superaquecimento.

3. Cuidado com o uso do cigarro, mesmo em ambientes para fumantes

O hábito de fumar é comum para muita gente. Dar uma escapada da rotina e fumar um cigarro dentro da sala, ou, passar um tempo na área para fumantes de uma empresa ou restaurante. Porém, é preciso saber que o cigarro aceso é uma das grandes causas de incêndios em estradas, residências, e claro, estabelecimentos comerciais.

Locais onde esse fator se torna agravante, incluem aqueles em que possuem líquidos,  gases inflamáveis, concentração de materiais combustíveis e até sujeira acumulada.

É necessário sinalizar bem as áreas em que é proibido fumar, disponibilizar cinzeiros adequados para o descarte de bitucas de cigarros e alertar os funcionários sobre o descarte apropriado para elas. É importante conferir se todas realmente estão apagadas antes de colocá-las em sacos e misturá-las com o resto do lixo.

4. Seguir a NR 23,voltada à proteção contra incêndios

A Norma Regulamentadora 23 descreve o seguinte:

23.1.1 Todas as empresas deverão possuir:

  • a) proteção contra incêndio;
  • b) saídas suficientes para a rápida retirada do pessoal em serviço, em caso de incêndio;
  • c) equipamento suficiente para combater o fogo em seu início;
  • d) pessoas adestradas no uso correto desses equipamentos.

Equipamentos conservados e de fácil acesso para combater o fogo devem estar presentes. Eles incluem hidrantes, sejam eles de parede ou industriais, por exemplo, extintores, sinalização de saídas, alarmes, EPIs para quem for manusear esses instrumentos e um fator que leva a próxima e última dica deste artigo.

5. Ao menos parte de seus funcionários sejam treinados para controle básico de incêndio

A empresa deve oferecer curso de brigada de incêndio e outros treinamentos correlatos aos seus colaboradores. Para complementar, pode constituir entre eles uma CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), coordenados por profissionais da área de segurança e pelos bombeiros.

Assim, em uma emergência, antes que estes cheguem ao local, os próprios funcionários treinados poderão conter, ou ao menos, amenizar a situação de risco, salvando vidas e grande parte do patrimônio.

Top