Extimbrasil  /  Blog  / 

6 Erros comuns que podem prejudicar sua carreira como supervisor de manutenção

6 Erros comuns que podem prejudicar sua carreira como supervisor de manutenção

A gestão de manutenção tem uma imensa importância na prosperidade de uma empresa. Não é à toa que o profissional gestor de manutenção é cada vez mais requisitado no mercado. É ele quem irá guiar uma equipe preparada para prevenir a falha e a perda de máquinas e equipamentos de custos onerosos de obtenção.

Dessa forma, é grande a responsabilidade do supervisor e a tarefa requer bastante atenção. Com um trabalho de sucesso, ele entrega ao seu contratador

  • Grande diminuição de custos em manutenção;
  • Aumento da produção e dos lucros;
  • Segurança dos funcionários e patrimônio;
  • Excelente reputação da marca com a melhor qualidade dos produtos fabricados.

O profissional que consegue manter uma consistência nesses resultados, acaba fazendo carreira onde foi contratado, e ainda melhor, ganha respeito no mercado e é tratado como referência na área.

E para lhe ajudar em sua carreira, separamos 6 erros que são comumente cometidos, tanto por iniciantes, quanto por quem já tem mais tempo na área, para que você consiga ficar mais atento e desviar deles agora mesmo.

6 erros comuns e perigosos para a gestão de manutenção

Para quem está iniciando, seja na gestão de manutenção industrial ou predial, alguns erros em suas decisões podem passar despercebidos ou serem subestimados e, no futuro, acabar com a sua credibilidade.

Por isso, atenção nos erros citados abaixo.

1. Copiar o PCM (Planejamento de Controle e Manutenção)

Imagine que você está começando a trabalhar na área e se depara com várias máquinas que não conhece bem. Para alguns, com a ansiedade de ter em mãos o PCM e começar a agir de acordo com ele, fica fácil e rápido pedir a amigos ou colegas conhecidos  um modelo único para aquele equipamento específico.

Assim, com ele em mãos, você pode fazer de forma correta todo o processo de manutenção preventiva, preditiva ou corretiva, certo?

Errado.

Um aparelho pode ser exatamente igual ao outro, mas isso não quer dizer que ele vá trabalhar nas mesmas condições.

Ele pode ser posicionado em outro local com temperatura, elementos de corrosão ou operadores diferentes, por exemplo. Ele também pode funcionar em horários diferentes e carga horária menor ou maior. Logo, a manutenibilidade e a frequência de avaliações e manutenções pode ser totalmente diferentes entre um e outro.

Você pode pensar que está economizando tempo, quando, na verdade, pode ter perdido o controle da real situação.

2. Não coletar  dados e não agir de acordo com os mesmos obtidos

Todos os dados podem estar a mão do profissional, mas, por diversos motivos como: pensar que falta tempo para checá-los, ou, julgar que já tem experiência o suficiente para apoiar-se somente em suas intuições, o gestor pode desprezar essas informações.

A experiência realmente conta muito na equação, mas não dá resultados sozinha.

É preciso seguir à risca o plano de controle e manutenção, revisá-lo periodicamente e sempre monitorar o que acontece com os equipamentos. A tecnologia ajuda muito, com programas específicos para acompanhar todos os detalhes do funcionamento e preservação das máquinas expostas a maiores riscos.

3. Não monitorar sua equipe

Nenhuma dica que foi mencionada anteriormente neste artigo irá adiantar, se a sua equipe não estiver qualificada, atualizada e envolvida 100% no seu planejamento. Se você, por exemplo, não souber que alguns colaboradores estão utilizando ferramentas inadequadas, ou, estão percebendo comportamentos incomuns nas máquinas e não estão reportando a seus superiores.

Ou, ainda, se não escuta o que eles veem no dia a dia, não saberá orientá-los e caso algo aconteça, a sua desatenção para esse quesito será um grande ponto negativo contra você.

Gerente de manutenção líder

Integração eficiente entre gestores e membros da sua equipe é chave para o sucesso no trabalho

4. Não definir prioridades na jornada de trabalho

Durante suas horas de atividade na empresa, várias situações não previstas, ou solicitações de atenção por parte da equipe irão aparecer, fazendo com que você seja puxado de um lado para o outro para suprir novas demandas.

Se você se deixar levar por todas essas novas entradas nas suas atividades, vai perder o foco e esquecer de tarefas muito importantes que tinha em mente. É preciso definir objetivos, metas e principalmente, prioridades, considerando o resultado de cada operação e o seu nível de urgência.

O gerenciamento correto do tempo é essencial para deixar todas as manutenções em dia. Você pode usar aplicativos e programas específicos para lidar com essa questão.

5. Escolher um tipo de manutenção e excluir a outra do PCM

Procure colocar no PCM as manutenções preventivas, preditivas e até corretivas.

Você vai precisar desses dados na hora de escolher a ação com melhor custo-benefício para a empresa naquele momento.

Talvez, em um primeiro olhar, a preventiva seja a melhor, ou a que traga mais benefícios imediatos, mas com os planos para todas elas, em uma eventual mudança de comportamento ou situação de uma máquina, você precise utilizar outro método. Fará toda a diferença nesse momento a rapidez com que você será apto a encontrar uma nova solução.

Tipos de manutenção e suas diferenças

6. Exigir mais do que um equipamento é capaz de fazer buscando economia

Como gestor de manutenção, você será pressionado algumas vezes a fazer sua equipe de manutenção ir além do que ela pode ou deve. Se o volume de produção aumenta consideravelmente, se o equipamento já está muito antigo e desgastado, se uma máquina quebrou e a ideia é fazer outra igual trabalhar duas vezes mais para compensar a perda, a gerência pode pedir para você resolver a situação sem nenhum aumento no orçamento.

Todavia, é de sua responsabilidade alertar que em condições como estas, o número de manutenções pode aumentar significativamente, uma quebra total pode se tornar mais próxima, pessoas podem sofrer acidentes graves e a produção pode parar de vez.

Sem contar que os novos dispositivos podem demorar para chegar, e em casos como equipamentos de segurança de um prédio, como o SPDA, do sistema de proteção contra incêndio, por exemplo, a fiscalização pode gerar multas e interdições.

Muitas vezes é preciso ter pulso firme e se impor aos superiores naquilo que só você possui o conhecimento e experiência necessária para tomar a decisão mais acertada.

Manutenção em equipamentos de segurança

A manutenção em equipamentos de segurança jamais podem ser deixados para depois

Revise sempre suas atitudes como gestor de manutenção e perceba se os erros citados estão presentes na sua rotina.

Identificados os pontos de melhora e traçandos novos objetivos, a empresa para a qual você trabalha terá prazer em recompensá-lo pelos grandes benefícios da sua contratação e seu valor no mercado, como profissional, terá um grande aumento.

Top